Postado em 24 de Maio de 2016 às 16h50

    Seu ciúme é normal?

    Personalidade (33)

    Algum nível de ciúmes é necessário em todo relacionamento. Todos nós, alguma vez, já o sentimos. As pessoas costumam dizer que o ciúmes é o tempero do amor, aquela pitada que o incrementa, mostrando que o interesse de um pelo outro permanece aceso. A presença de ciúmes é saudável nas relações amorosas. O ciúmes serve como um sensor. Sua ausência, tanto quanto seu excesso, pode prejudicar o relacionamento.

    Muitas vezes reações de ciúmes são esperadas, por exemplo na descoberta de uma infidelidade.Também quando não há intimidade suficiente no relacionamento, o ciúmes pode se intensificar, pois o companheiro tenta desesperadamente seguir por uma estrada onde a sinalização não é clara e por isso fica testando o relacionamento o tempo todo.

    Quando o ciúmes se torna excessivo, ao invés de fazer bem ao relacionamento, acaba tendo o efeito oposto, muitas vezes afastando o companheiro. Na ânsia de não perder a pessoa amada, o ciumento cerca os passos e sua liberdade de seu parceiro de tal modo, invadindo seu espaço pessoal e sua privacidade, ferindo seus sentimentos com acusações infundadas, que afrouxa os laços que os uniam. O controle que o ciumento excessivo tenta ter sobre o seu parceiro vai "sufocando" a vítima do ciúmes, que se afasta cada vez mais para poder "respirar". Seus atos, suas amizades, seu trabalho, seus pensamentos, suas fantasias e lembranças, tudo parece ameaçar a segurança do ciumento. O ciúmes doentio faz com que sua vítima se sinta cada vez mais ressentida com a falta de confiança do companheiro em seu comprometimento para com ele.

    De modo geral, o ciúmes muito intenso é sinal de dificuldades emocionais.

    A desvalorização de si mesmo, a baixa estima, é uma das causas importantes do ciúmes intenso. Pessoas seguras de si, de seu valor, costumam lidar bem com seus sentimentos de ciúmes, não se deixando levar por eles e até fazendo com que revertam em proveito do próprio relacionamento. A segurança contra a competição é a grande arma destas pessoas.

    Outro fator que podemos apontar como fator do ciúme excessivo é o medo da intimidade, que é utilizado neste caso para distanciar o parceiro neste caso. Mas não só da intimidade sexual, da intimidade como um todo, de poder mostrar-se ao outro como realmente se é.

    Outro fator que pode levar à desconfiança e ao ciúmes descontrolado é a mudança no comportamento do parceiro, que pode ser interpretada pelo companheiro como sinal de que pode estar havendo ou haver maior oportunidade de traição.

    A diminuição da frequência sexual de um dos companheiros pode ser uma destas mudanças.
    O aumento do interesse do parceiro por eventos sociais, amigos e outros assuntos que não faziam parte do contexto deixam o ciumento de “orelhas em pé” sobre o que "parecia sobre controle".

    Um fator importante em todos os casos de ciúmes demasiado é a prevalência da fantasia em lugar da realidade, que alimenta esta emoção. Pensamentos e/ou imagens distorcidos aumentam o ciúmes, o que leva a novos pensamentos e/ou imagens distorcidos, em um círculo vicioso.

    O ciumento excessivo, muitas vezes, deve "perder o medo de perder, para não perder". Manter um equilíbrio entre o medo de perder o parceiro e as evidências reais de perigo de abandono é essencial para o ciúmes sadio.

    A ajuda psicoterapeutica é indicada se há ciúmes excessivo. A psicoterapia individual pode ser bastante útil nestes casos. A psicoterapia de casais pode ser indicada paralelamente, isto dependendo da especificidade do caso, que deve ser avaliada pelo psicólogo.

    Por Ieda Dreger

    Veja também

    Falando sobre Infidelidade (perguntas e respostas)23/05/16 No consultório e em meu site, tenho visto, ouvido e sido questionada sobre várias itens com relação a infidelidade. Fiz uma mescla de alguns deles e vou respondê-los a fim de esclarecer alguns mitos. Quando revelada a infidelidade, há o divórcio: Ninguém casa pensando que um dia vai ser traído, mas é inevitável também......
    Filhos de pais separados, que problemas enfrentam?24/05/16 O estigma de que filhos de pais separados sofrem mais, têm menor rendimento escolar, mais problemas emocionais e auto-estima mais baixa que os filhos de casais que permanecem juntos tem caído por terra. Existem situações em que as......
    Como falar com seu filho sobre a adoção25/05/16 Pais que estão pensando em adotar uma criança , ou que já o fizeram, enfrentam o medo e a ansiedade diante da perspectiva de explicar a seus filhos sua origem. “Mamãe, eu vim da sua barriga?” é uma pergunta......

    Voltar para Blog