Postado em 24 de Maio de 2016 às 16h28

    Você se boicota?

    Personalidade (33)

    Existem pessoas que lutam uma vida toda para ter sucesso e quando este está bem próximo, fazem alguma coisa para que não se concretize. Outras pessoas apresentam manifestações físicas do medo e pavor o que não possibilita atingir o esperado. O auto-boicote se apresenta de diferentes formas, parte sempre da pessoa que não se permite as conquistas que deseja.

    A pessoa com tendência a auto-sabotagem geralmente é aquela que acredita não ter condições de lidar com os desafios. Assim acha melhor nem tentar porque imagina que o tombo será muito dolorido. Isso é, na verdade, uma auto-proteção, mas uma falsa impressão de proteção, como se fosse a fala dos pais dizendo: você é muito pequena, cuidado para não se machucar.

    Claro que auto-sabotagem tem a ver com auto-estima , porque quem tem auto-estima luta pelo que quer e também é mais prático na questão de analisar riscos e limitações. Quem não a tem geralmente tem medo e ansiedade quando precisa lidar com mudanças ou uma situação sobre a qual não tem controle. Neste momento a pessoa sente-se derrotada antecipadamente e detona o gatilho da sabotagem.

    Para a maioria de nós, é mais fácil compreender o medo de perder o que amamos. Para algumas pessoas, no entanto, o que apavora é a possibilidade de sucesso. Porque? Porque ele simboliza o novo. O fracasso, mesmo uma única vez, é uma situação conhecida e nos trás o afeto dos outros, como atenção, pena e cuidados. Já o sucesso é um terreno menos conhecido que COBRA ATITUDES como envolvimento, responsabilidade, trás exposições e muitas vezes foge do nosso controle. Então vem a pergunta: será que eu seguro esta onda? Melhor nem tentar. A pessoa dá mais ouvidos a sua criança interior, que precisa de proteção e perde a oportunidade de examinar as reais possibilidades bem como a análise objetiva das estratégias para enfrentar o desafio. Está instalado o círculo da auto-sabotagem.

    Às vezes a auto-sabotagem significa um conflito, quando a pessoa não sabe o que quer na verdade . É uma forma de mostrar a insatisfação com os rumos que a vida está tomando. Há uma sensação de incapacidade de avaliar e projetar o que realmente se deseja.

    Os sintomas mais importantes são: Justificar seus erros, adiar tomadas de providências práticas, ser pessimista, sofrer de conflitos internos entre o que deseja e o temor se isso dará certo, deixar-se dominar por duvidas, não conseguir se focar nos objetivos e acelerar na contramão.

    Como resolver o problema? Primeiro é importante perceber se você tem estes sintomas e perceber também como encara sua auto-imagem. Sim, porque a forma como a pessoa se percebe pode aprisioná-la dentro de uma quadro não a permitindo crescer. Esquecemos então que cabe a nós a construção e reconstrução de nossa vida, que ela é um processo e pode mudar diversas vezes.

    Depois, procure também avaliar seus pontos fortes, para compensar o fracos, porque a sabotagem vem como forma de desvalorização própria. Liste as coisas que você já realizou e que são motivo de orgulho e que demonstrem seu potencial.

    Ainda, diante de desafios, não se coloque um objetivo grandioso. Defina metas pequenas e vá cumprindo cada uma das etapas. Pequenas vitórias fazem grandes efeitos. Lembre-se, estamos acostumados a olhar e valorizar apenas as grandes mudanças, os grandes feitos sem percebermos que os grandes começam pelos menores.

    Se ainda assim você tiver dificuldades, busque ajuda de um psicólogo para uma superação.

    Por Ieda Dreger. 

    Veja também

    Mimar filhos, um ato de amor?24/05/16 Na maioria das vezes, a simples perspectiva de gerar um filho já enche os futuros pais de alegria e amor. Esses pais passam a cultivar a idéia de serem os provedores e guardiões deste pequeno ser. Para aqueles que decidem investir nesta empreitada, é difícil imaginar alguém que não pense logo em cobrir o futuro herdeiro de agrados e de mimos, tentando satisfazer todas......
    Avós não substituem os pais24/05/16 A diferença de gerações faz ao avós tratarem os netos com condescendência. Meu marido recebeu uma ótima proposta para trabalhar no exterior, mas meus filhos, de 11 e 14 anos, se recusam a mudar. Deixa-los com os......
    Uma palavra sobre o ciúme24/05/16 Outro dia, falei com meu amigo Thiago, no programa Ver Mais, da RicRecord, sobre o ciúme. Como vieram diversas perguntas para o meu site depois disso, resolvi escrever sobre o assunto. Ter ciúme é normal? Sim, assim como o medo tem......

    Voltar para Blog