Postado em 25 de Maio de 2016 às 09h31

    Você tem dificuldade de tomar decisões?

    Medos e fobias (12)

    Todos os dias as pessoas têm uma série de decisões para tomar. Geralmente são decisões pequenas como: o que comer no almoço, se vão nesse ou no outro supermercado, que cor de vestido usar, qual camisa usar, em que momento levantar da cadeira para tomar um cafezinho, qual o horário a dormir, etc.

    Há 40 anos atrás, quando íamos ao supermercado em busca de algum produto, tínhamos apenas algumas opções. Hoje existe uma série delas para cada produto. É a indústria da escolha.

    Temos um excesso de informações de todos os lados, pressão por desempenho em todos os setores e repletas de alternativas, as pessoas precisam tomar decisões também a respeito de assuntos delicados. E pior, devem fazer isso sem ter muito tempo para pensar.

    Cada vez mais, o sucesso e a satisfação pessoal dependem da habilidade de fazer escolhas adequadas. Com frequência, as pessoas são obrigadas a tomar uma decisão que pode modificar sua vida.

    Até 40 anos atrás os empregos eram para sempre, assim como os casamentos. O número de decisões a tomar, a concorrência na questão profissional e a exigência do conhecimento eram menores.

    Atualmente, você escolher se vai se matricular numa pós graduação ou se inscrever naquele curso de extensão sobre liderança. No campo da aposentadoria, são mais de 260 fundos de previdência privada. A sua formação, seu trabalho e sua aposentadoria foram privatizadas. Passaram a ser de sua exclusiva responsabilidade. Agora, cabe apenas a você, e só a você, decidir o caminho a seguir.

    A vida afetiva já era privada, mas ninguém “ficava” nem dormia com a namorada ou namorado na casa dos pais.

    Então, o que fazer? Como ter certeza de tomar a decisão correta? Somente chegamos ao acerto por meio do sistema de tentativa e erro. Portanto recomenda-se cautela quando se fala e pensa a respeito de um problema. Não basta sentar-se num canto, fechar os olhos e meditar. Quando agem dessa forma, as pessoas tendem a adotar soluções com base em impulsos, ignorando até mesmo os aspectos mais simples.

    As melhores decisões, costumam ser tomadas de uma forma mais disciplinada, até mesmo com a ajuda de papel e lápis. Pode parecer brincadeira, mas os estudiosos recomendam que as pessoas não apenas analisem os prós e os contras de cada opção em jogo mas escrevam cada uma delas em colunas separadas como forma de avaliá-las e tê-las sempre diante dos olhos.

    A idéia básica, é sempre a mesma: reduzir a subjetividade a seu tamanho necessário. Por isso, a adoção de uma metodologia que reduz a impulsividade das decisões e ajuda a pessoa a ter munição. Isso tem o objetivo de fazer um julgamento pessoal de cada possibilidade em jogo. Pessoas mais bem treinadas e mais bem informadas tem mais condições de intuir o rumo a seguir.

    Mais de 20% das pessoas ficam paralisadas diante da necessidade de fazer uma escolha. Essas pessoas costumam ser muito ansiosas, adotam a idéia de ocupar o tempo com diversas atividades e sofrem por concluir uma tarefa que exija um posicionamento seu, são aquelas que quase sempre atrasam a declaração do imposto de renda e o pagamento de contas, deixam de fazer o trabalho quando estão livres com o argumento de que funcionam melhor sob pressão. Para esse grupo de indecisos, a recomendação é perceberem sua dificuldade em tomar decisões como um problema e procurar a ajuda de um profissional. A indecisão atrapalha não apenas a pessoa indecisa mas também aqueles que o cercam.

    De qualquer maneira, a melhor forma de se tomar decisões, é estar conectado com tudo que está acontecendo ao seu redor. Como uma gama de informações, você consegue fazer mais facilmente as colunas sugeridas de prós e contras para sua tomada de decisões.
    Se você se considera uma pessoa que tem dificuldades de tomar decisões, procure a ajuda de um profissional. Com certeza e isso facilitará a sua vida.


    Por Ieda Dreger. 

    Veja também

    Timidez é doença?24/05/16 Ana chegou ao consultório acompanhada de sua mãe. Era uma adolescente de 16 anos, bastante obesa e com muitas espinhas no rosto. Logo que começamos a conversar percebi que ela era pouco comunicativa e que todas as perguntas que eu dirigia a ela, a mãe se encarregava de responder. - Ela é muito tímida! – repetia a mãe constantemente. Terminada aquela......
    Se você é fofoqueiro (a), cuidado! A próxima vítima poderá ser você!24/05/16 Frequentemente alguém formula uma crítica destrutiva sobre a vida de um ator famoso, sem razões e fundamentos, apenas porque seu papel em uma novela ou um filme é de bandido, traficante, e outros. Às vezes os conselhos de......
    Você é um dependente afetivo?24/05/16 Há pessoas que se arrepiam só com a possibilidade de ficar dependente de alguém ou alguma coisa, passam a vida lutando contra isso, e algumas vezes tornam-se onipotentes, distantes e sós. E há pessoas que tremem apenas com a......

    Voltar para Blog