Postado em 24 de Maio de 2016 às 17h29

    Estresse: O que é?

    Ansiedade e depressão (6)

    É provavelmente o quadro clínico mais freqüente que existe. Trânsito, problemas financeiros, profissionais, familiares, situações de vida, doenças, alterações de metabolismo, uso de alguns medicamentos, de álcool, de drogas, acidentes, correria, insegurança (tanto financeira quanto, no caso de nossas cidades, física mesmo), dificuldades com chefes, colegas de trabalho, filhos, cônjuges, pais, carro quebrado, Marginal parada e etc., vão fazendo com que nosso corpo produza quantidades anormais de Adrenalina.

    A Adrenalina é um hormônio produzido por nosso corpo e tem a função de fazer nosso organismo se defender. Ela faz com que o sangue irrigue mais o coração o cérebro, os pulmões e os músculos. Isso para que fiquemos alertas, fortes e com todos os sentidos aguçados, para enfrentar o perigo. A produção de Adrenalina durante um certo tempo é benéfica para nós pois faz com que nosso organismo esteja apto a se defender de agressões. O problema é que nossas condições de vida fazem com que esse tempo seja muito longo.

    Então começam os sinais de Stress:

    - Diminuição do rendimento, erros, distrações e faltas na escola ou no trabalho.
    - Insatisfação com tudo.
    - Indecisão, julgamentos errados, atrasados, precipitados.
    - Piora na organização, adiamento e atrasos de tarefas, perda de prazos.
    - Insônia, sono agitado, pesadelos.
    - Irritabilidade, explosividade.
    - A concentração e a memória diminuem.
    - Coisas que davam prazer se tornam uma sobrecarga.
    - Reclamações mais freqüentes do que o habitual.
    - Uso de férias, feriados e finais de semana para colocar o serviço em dia, ao invés de relaxar e se divertir.
    - Ocupar cada vez mais tempo com trabalho e menos com lazer. Parece que o dia normal de trabalho não é mais suficiente para o que tem que ser feito.
    - Diminuição de entusiasmo e prazer pelas coisas.
    - Sensação de monotonia

    O que geram os sintomas do Stress:

    - Cansaço
    - Ganho ou perda de peso
    - Infecoçes, gripes e outras viroses, por exemplo Herpes
    - A Pressão Arterial e o Colesterol sobem, enrijecendo as artérias e favorecendo o aparecimento de Arteriosclerose, derrames, infartos, etc
    - Dores de cabeça, dores musculares, dores “de coluna”, Fibromialgia
    - Bruxismo (significa ranger dentes durante o sono)
    - pernas intranqüilas, principalmente na cama, durante a noite
    - Má digestão, gastrites, úlceras
    - Prisão de ventre e diarréia, flatulência (gases)
    - Acne, pele envelhecida, rugas, olheiras. Seborréia, queda de cabelos, enfraquecimento das unhas
    - Diabetes
    - Diminuição de Libido, Impotência Sexual
    - Tentativa de relaxar com álcool, nicotina, drogas e excesso de comida, causando outras complicações no organismo
    - Doenças psicossomáticas
    - Ataques de ansiedade
    - Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)
    - Ataques de Pânico que podem ou não evoluir para uma Síndrome do Pânico
    - Depressão

    1) Não é necessário que aconteça um sobrecarga exagerada para começar um estado de Stress. Na maioria das vezes existe um acúmulo de pequenos fatores, que somados produzem uma grande sobrecarga em nosso organismo.

    2) Sobrecargas "boas" também podem causar Stress:
    Imagine reformar ou construir uma casa (não é bom ?) e ao mesmo uma promoção no trabalho, com todos os desafios inerentes a essa promoção. Ou a construção de uma casa e o nascimento de um filho. Ou um emprego novo, depois de um período parado (um stress “bom” depois de um “ruim”).

    No decorrer de nossa vida vamos aprendendo a conviver, controlar e administrar os problemas que nos sobrecarregam e causam ansiedade.

    Cada pessoa é capaz de administrar certo números de fatores de sobrecarga porém além de um certo limite seu organismo entra em Stress. Imagine que você esteja passando por problemas financeiros, profissionais e familiares ao mesmo tempo. Provavelmente você conseguiria administrar bem um ou dois desses problemas, mas talvez não os três ao mesmo tempo.

    Isso quer dizer que você não precisa se livrar de todos os seus problemas para melhorar, basta chegar à quantidade que você consegue administrar sem se sobrecarregar muito.

    O que fazer ?

    - Na maioria dos casos a solução é óbvia, muito gostosa mas difícil de se fazer: mudar hábitos.
    - Deitar mais cedo, dormir mais, fumar e beber menos (um pouco de álcool socialmente é bom), alimentação mais saudável, socializar mais com amigos, dançar. Fazer esportes, ir ao cinema.
    - Viajar, tirar férias, curtir a família.
    - Lembre-se: até Deus precisou descansar no sétimo dia !
    - Massagens de relaxamento, etc.
    - Um banho mais demorado
    - A Psicoterapia ajuda muito. Na maioria das vezes, só o fato de poder conversar com uma pessoa neutra e tecnicamente preparada já é suficiente para ajudar a organizar melhor os pensamentos e com isso administrar melhor os problemas.
    - Um bom condicionamento físico é sempre importante, ainda mais para quem está sujeito a ter somatizações. Além disso, ginástica libera Endorfinas, que são nossos Antidepressivos naturais e aumentam nosso bem estar. Portanto, coloque-se em forma.
    - Medicação. Pelo menos nos primeiro dias ela é importantíssima. Ela bloqueia as descargas de Adrenalina, de modo que os sintomas físicos desaparecem. Com isso a pessoa tem mais liberdade para pensar em reorganizar a vida, pois não tem mais a preocupação com os sintomas (que por si só eram mais um fator de sobrecarga).

    Os tranqulizantes por certos períodos são úteis. As pessoas tem medo de "tomar calmante e ficarem dependentes".

    A imensa maioria da pessoas nem abusa nem fica dependente.

    Em situações especiais é bem melhor tomar um tranqüilizante do que ter um infarto do miocárdio ou um acidente vascular cerebral.

    Quando se instala um Depressão ela irá piorar o Stress e criar um círculo vicioso, portanto deve ser tratada.

    Por ser um quadro clínico tão comum, o Stress é um dos distúrbios que as pessoas mais tratam através de auto-medicação, conselhos de amigos, "empurroterapia" . O resultado é a perpetuação do quadro, com graves problema para a saúde e também para a convivência familiar e profissional.

    Não deixe de se tratar. Sua qualidade de vida só pode melhorar.

    Por Ieda Dreger

    Veja também

    Perdendo alguém que amamos24/05/16 A dor é suportável quando conseguimos acreditar que ela terá um fim e não quando fingimos que ela não existe.´ (A. B. Campbell) Primeiramente, quero abordar alguns mitos sobre o luto, que dificultam uma compreensão clara a respeito dessa experiência tão humana e universal. São os que seguem: 1. Luto e pesar são uma mesma......
    Filhos que mandam e pais que obedecem?25/05/16 A responsabilidade de educar filhos é intransferível, ainda que algumas pessoas busquem fazê-lo. Mas o outro que vem cuidar é um substituto, nunca um pai. E as próprias crianças compreendem isso quando dizem:......
    Brincando com o jogo da sedução24/05/16 A sedução é a expressão da sexualidade, através da sensualidade. Trata-se do assumir que é alguém que tem desejos e que é passível de ser desejado. Sedução implica em ousadia, auto......

    Voltar para Blog