Postado em 24 de Maio de 2016 às 17h26

    Depressão, Distimia e Transtorno bipolar, você conhece as diferenças? (Parte 2)

    Ansiedade e depressão (6)

    Na matéria anterior falamos sobre depressão e hoje vou continuar a discorrer sobre o assunto, bem como sobre distimia e transtorno bipolar.

    A palavra distimia significa “mau humor”. Quando você tem distimia não identifica um momento específico de depressão, mas apresenta mal humor todos os dias, o dia inteiro. É um quadro mais brando, mas continuo. Na depressão típica você tem momentos melhores e momentos piores. Na distimia não. É o tempo todo aquele mau humor continuo.

    Pra identificar a distimia percebe-se que a pessoa passou a ser pouco sociável, não fica mais com amigos e nem com a família, passa a ter hábitos rígidos, faz todo dia a mesma coisa, não muda a rotina. Os colegas normalmente dizem que ele é “sério demais” e com o tempo as pessoas começam a achar que esse é o seu jeito mesmo, quando isso não é verdade. A distimia é confundida com o jeito da pessoa ser. As pessoas dizem: “è a personalidade dele”, não é. Ninguém nasce distimico, se a pessoa muda o comportamento e de um momento para outro passa a não considerar as suas próprias idéias, não acreditar nela mesma, não confiar em si mesmo, ficar anti-social, solitário e não achar graça nas coisas... Isso pode ser distimia.

    Um ponto muito importante: Se você tem estas características, observe se você mudou de personalidade em um momento específico da vida. Esse é o ponto pra identificar a doença da distimia, se você mudou de uma hora pra outra e nunca mais voltou ao normal pode ser distimia que também é uma doença, pode e deve ser tratada.

    Na distimia o sofrimento não é tão arrasador como na depressão, mas é muito debilitante porque é constante, não tem momentos de alivio, é o tempo todo essa coisa arrastada.

    E o transtorno bipolar? É o que a gente chama de crise de exageros, tem períodos que a pessoa tem vontade de passar o dia na cama, não come direito e se deixar nem toma banho, sem ânimo pra nada. Mas em outros momentos a pessoa se transforma, fica falante, expansiva, se considera onipotente. Pode tudo, tudo é fácil. A autoestima vai lá nas alturas, pula de um assunto pra outro numa rapidez que não dá tempo pra executar nada...

    Nessa fase a pessoa até se sente com muita energia, mas não realiza muita coisa porque não tem concentração. É agitada e isso não a permite realizar nada. Ou seja, numa fase não faz muita coisa porque está apático, na outra fase também não porque está agitado demais.

    A fase agitada chamamos de "mania" ou "euforia". É a fase onde a pessoa começa a fazer compras compulsivas por exemplo, compra tudo o que não precisa, coisas que não tem como pagar. Pode abusar de álcool, drogas e sexo, o que ajuda nos riscos. É comum os amigos gostarem da pessoa nessa fase porque a pessoa fica corajosa. É fácil confundir com alegria normal, mas, não tem nada de normal pois a pessoa faz coisas que jamais faria se estivesse normal.

    Então, a depressão propriamente dita assim como a distimia e o transtorno bipolar são todos formas de depressão

    Porque temos depressão? Algumas pessoas pensam que a depressão é apenas de causa orgânica, que tem uma falha química no organismo.

    O stress é um fator importante. Não falo do stress como as pessoas costumam entender, não falo do cansaço. Tem gente que chega em casa depois de um dia de trabalho e diz “estou estressada”, você está é cansado.

    Stress em psicologia é o desgaste emocional. São todas as coisas fortes que aconteceram na sua vida e que te deixaram marcas. Toda situação traumática é estressante e pode provocar depressão. Mas muitas vezes a depressão não vem logo em seguida, pode ser uma depressão de inicio tardio. Você passa por um trauma hoje e daqui a alguns anos aparece a depressão, o que pode dificultar a associação de uma coisa à outra. Mas estão associadas sim. Na terapia a gente descobre o que foi que causou esse sofrimento.

    Não se pode dizer o que vai causar depressão em uma pessoa. Tem gente que se diverte a beça planejando a sua festa de casamento e outra pessoa que pensa em desistir do casamento só por causa do stress da organização da festa. Há pessoas que dizem: “imagina ter depressão só por causa disso”. Isso é injusto. Cada um tem sua sensibilidade. Cada um sabe onde lhe aperta o calo.

    A depressão tem que ser vista com mais respeito. É uma doença. Não é frescura.

    Não deixe isso acontecer com você. O pior problema da depressão é a desesperança. A falsa crença de que nada vai mudar na sua vida. Se dê uma chance e você pode ver muita coisa mudar. Se dê o direito de se tratar.

    A depressão começa com um descontentamento pela vida. Os meses vão passando e a coisa vai ficando mais grave. Sair da cama, ir para o trabalho começa a ficar muito difícil. A pessoa começa a ficar irritada, ter crises de choro, se sente doente, apática, sem vontade de falar com ninguém. O corpo continua vivo mas a alma se foi.

    O mais importante é você saber que tem tratamento. Tem o que fazer pra controlar a depressão.

    Por Ieda Dreger

    Veja também

    Discussão de casal, quando e como parar23/05/16 A grande maioria dos casais tem discussões e elas são bastante importantes numa relação. Mas existem aquelas discussões que se tornam muito agressivas, fortes e que nem trazem a tona o assunto mais importante, e sim ataques infundados e vão deixando marcas que se transformam em problemas maiores, difíceis de solucionar. Fazer as pazes às vezes é......
    Você está sempre buscando um final feliz?24/05/16 Os veículos de comunicação mudaram o mundo, temos mais acesso à informação e entretenimento. Com eles vieram novelas, filmes, programas de auditórios, reality shows com lindas histórias de......
    Síndrome do Pânico e o medo de tudo24/05/16 Sem aviso prévio, você começa a sentir o coração bater acelerado, suor intenso, opressão no peito, tontura, falta de ar, boca seca e dor no estômago (ou algumas delas apenas). Em crises passageiras ou demoradas,......

    Voltar para Blog